sábado, julho 03, 2004

O não saber Amar

Sofro antecipadamente
na cama do amor
O tempo vai passando
e tudo,
tudo se vai desmoronando.
Lágrimas prateadas
de um amor sofrido
vão escorrendo no meu rosto
um rosto dolorido.
Sem tempo para amar,
sem tempo para sorrir
de cabeça rebaixada
as lágrimas continuam a cair.
Sofro. E continuarei a sofrer.
Nas mágoas da paixão.
Sem mais querer viver
a ti, meu amor,
te entrego o meu coração.

2 à janela:

At 4/7/04 1:14 da manhã, Blogger LI disse:

Olá, "Amiga"! ;)
Gostei muito do teu blog e de perceber que tens uma grande sensibilidade que te permite escrever muitíssimo bem. Parabéns.
Vou voltar sempre. Entretanto, encontramo-nos no "Labrego".
Beijinhos

PS - Para além do meu blog, também tenho um blog de poemas, em conjunto com outra menina, meio desactualizado, mas se quiseres podes cuscar os arquivos, em http://poesiasentida.blogs.sapo.pt

 
At 4/7/04 4:07 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Li, já dei uma saltada pelo teu blog, não vi com muita atenção, mas quando tiver mais tempo por lá passarei... e também por esse dos poemas :)

Obrigada. E obrigada por cá teres passado ;)*

 

Enviar um comentário

<< Voltar ao mundo