segunda-feira, outubro 31, 2005

Mudanças II

É de noite.
Atira-se para a cama e deixa-se lá ficar, estendida. Fecha ligeiramente os olhos e pensa na sua vida. Quando, em seguida, vê-se a interrogar: mas que vida? Esta em que os sentimentos mudam à velocidade da luz?; em que me sinto feliz por ser quem sou e, minuto depois, odeio viver neste corpo, neste ser imundo de indecisões?
Que vida? A minha que se enrola e desenrola, se faz e desfaz?; que num momento sorri e depois afoga essa felicidade com a dor das minhas lágrimas?
Que vida é esta?! Como se pode chamar de vida a esta mudança de sensações, de horas passadas em rios de lágrimas, desperdiçadas, perdidas?

Ainda na cama, encontra-se imóvel, de olhos cerrados, cravados no mundo que a incomoda e que a faz ser tão infeliz.
Sente-se cansada de ser quem é; tem raiva da rotina que leva, da "vida" que lhe foi atribuída.
Quer secar as lágrimas, para sempre; atirar-se ao rio; viajar num fio de loucura. Quer fazer tudo o que é censurável; quer amar o proibido e viver sobre o perigo. Quer deixar de sonhar e passar a viver. Arriscar. Deixar de perder e passar a ganhar.
Ah, que loucura, que convicção tão prepotente.

De madrugada, acaba por adormecer em tamanhos desejos. E, na manhã seguinte, acorda impetuosa, capaz de vencer o mundo e disposta a ser quem quer ser; a viver sem instruções, sem regras pertencentes ao politicamente correcto.
Hoje, sente-se bem com a vida que arranjou para si, agora, só espera que essa felicidade dure por muito mais tempo...

6 à janela:

At 31/10/05 10:00 da tarde, Blogger NegroVioletaSuave disse:

Adorei, simplesmente porque ésse texto podia ser meu...
Continua com o bom trabalho **

 
At 31/10/05 11:17 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Obrigada pelo comentário,
volta sempre Violeta :)*

 
At 3/11/05 11:33 da manhã, Anonymous Neith disse:

Excelente texto...uma escrita cuidada :) Beijinhos

 
At 3/11/05 6:55 da tarde, Blogger ricardo disse:

todos temos um dia em que acreditamos que é possível. fazer tudo: salvar o mundo, conquistar novos mares, sacudir preconceitos. e é dessas vontades, desses impulsos firmes, que nasce a força e o optimismo para que possamos ser felizes. apesar de tudo, no meio de tudo.

são estas manhãs que nos ensinam a acreditar que, no fundo, é possível...

 
At 3/11/05 7:56 da tarde, Blogger Carmem L Vilanova disse:

Amiga,
Estive sem conseguir entrar nos comentários nos últimos dias, por problemas do meu próprio pc, mas já está tudo funcionando novamente e cá estou para deixar-te muitos beijos e sorrisos!

 
At 3/11/05 10:38 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Neith =))*

ricardo,
há dias assim... :)

Carmem,
beijinho para ti também.


Aos "novatos", sejam bem-vindos e voltem sempre! =)

 

Enviar um comentário

<< Voltar ao mundo