terça-feira, novembro 15, 2005

Desespero

Assusta-a olhar para si e ver naquilo em que se está a tornar. Perfeccionista em demasia; obcecada em atingir a meta proposta. Olha-se ao espelho e depara-se com um exterior cansado, que liberta compulsivamente lágrimas de um sofrimento que vai aumentando dia após dia. Esse derrame de lágrimas é a prova que ainda se mantém viva, mesmo que por dentro se encontre morta. Está cansada! Cansada da vidinha perfeita e responsável que leva. Cansada das horas que não dorme, dos problemas que a atormentam e do medo que tem em não conseguir alcançar o sonho por que tem trabalho anos e anos. Cansada dos sacrifícios que faz, porque assim acha que tem que ser. E tem mesmo que ser.
Cansada.
As lágrimas continuam a cair e, aos poucos, vão-lhe corroendo o rosto. Já nem as olheiras consegue disfarçar. Profundas e quase negras. Não quer desistir, mas, de momento, o que mais quer é parar de sofrer. Anseia pelo dia que alguma coisa lhe seja entregue sem, por isso, ter que se matar a trabalhar arduamente. Nada lhe corre bem. E tem consciência de que a sua obsessão por ser perfeita - que acaba sempre por não o ser - está a levá-la ao extremo, ao máximo que qualquer ser humano consegue aguentar.

Mesmo que ainda haja uma força - não sabendo ela de onde possa vir - que a faz caminhar, ela pára. Odeia-se. Não quer continuar a sofrer desesperadamente para que um dia - futuramente - possa ser feliz, até porque, esse dia pode nunca chegar. E do que lhe valeu tanto esforço e dedicação? O que valeu deixar de sorrir, de cantar, de representar, de amar para ter talvez um dia de felicidade? Para quê abdicar tanto?

Desiste. E, se já se encontrava quase morta, agora encontra-se definitivamente enterrada.

8 à janela:

At 15/11/05 10:39 da tarde, Blogger mfc disse:

O caminho para a felicidade não é necessariamente o caminho do sacrifício. Aliás, poucas vezes o é.
Sorri...e faz-me sorrir também.

 
At 16/11/05 8:15 da manhã, Blogger JC disse:

Sendo considerado PP ou PNP, há coisas na vida porque vale a pena fazer uma pausa para pensar. Uma pausa, não significa necessariamente parar... os sacrifícios de hoje, vistos à distância do tempo, são as diversões de amanhã.
De qualquer dos modos o tema tem sentido e, mais uma vez, gostei de ver que o espírito da escrita se mantém inalterável.
Bjs…

 
At 16/11/05 4:11 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

mfc :)**

JC, aqui ao lado, na legenda, já só existe o PP :P
(o post "pp ou pnp" já foi "actualizado")
Um beijo ;)*

 
At 16/11/05 10:26 da tarde, Blogger Carmem L Vilanova disse:

Passei hoje para deixar-te muitas flores e sorrisos e para desejar-te um lindo resto de semana! :)

 
At 18/11/05 1:06 da tarde, Blogger Daniel Aladiah disse:

Querida Sara
Também acontece. Texto desesperado para retratar o desespero...
Um beijo
Daniel

 
At 19/11/05 11:50 da manhã, Blogger perola&granito disse:

oooO
(....).... Oooo....
.\\..(.....(.....)...
..\\_)..... )../....
.......... (_/.....CAMINHANDO!!!

oooO
(....).... Oooo....
.\\..(.....(.....)...
..\\_)..... )../....
.......... (_/.....ESTA QUASE...


oooO
(....).... Oooo....
.\\..(.....(.....)...
..\\_)..... )../....
.......... (_/.....CAMINHANDO...


oooO
(....).... Oooo....
.\\..(.....(.....)...
..\\_)..... )../.... UFA...
.......... (_/..... CHEGUEI...

-------\\\\\\\\|////--------
------( @@)------- Só passei para dar uma olhadinha
---ooO--(_)--Ooo-- e dizer um

______0000000000___0000000000000____
____0000000000000__0000000000000____
___000000___000000____0000000_______
___000000___000000____0000000_______
___000000___000000____0000000_______
___000000___000000____0000000_______
___000000___000000____0000000_______
___000000___000000____0000000_______
_____00000000000___0000000000000____

passa lá no nosso também...
beijocas natalicias

 
At 19/11/05 4:17 da tarde, Anonymous lique disse:

A vida não pode ser só essa obsessão, esse desespero. Tem que haver tempo para nós, não é? :)
Beijinhos, Sara

 
At 19/11/05 9:03 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Lique,
tem que haver, tem... :SS
Jinhos*

 

Enviar um comentário

<< Voltar ao mundo