domingo, novembro 13, 2005

Sem nada

Cruelmente,
bebes as minhas lágrimas
que choram por ti
que te anseiam
e que pedem,
para que voltes para mim

Devolves-me os beijos
que trocámos,
os abraços, apertados,
que me faziam achar
que eu era tão tua
Só tua.

Tiras o calor do meu corpo, misturado com o teu,
arrancas-me, ingenuamente, o sorriso com que nasci
tiras-me a alma afortunada
e o mundo,
onde fui tão feliz

Deixas-me aqui
só e desgraçadamente destruída
de coração negro
e sem a riqueza de um amor
que me acaba de fugir

8 à janela:

At 13/11/05 10:19 da tarde, Blogger Aromas Do Mar disse:

Poema tocante este...

Bom começo de semana

Beijo da mar revolto

 
At 13/11/05 11:00 da tarde, Blogger mfc disse:

Um poema doloroso...de uma página que há que virar!

 
At 14/11/05 8:58 da manhã, Blogger cm disse:

no inverno brindamos á primavera assim na saudade e até na dor...saudamos o amor que tb ha-de chegar...

 
At 14/11/05 5:31 da tarde, Blogger TMara disse:

assim termina a maioria das histórias de amor-paixão.O k é deixado fica dilacerado. Boa semana. Bjs e :)

 
At 14/11/05 6:29 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

=))

(que frio, grrrr)

Tenham uma boa semana :)

 
At 14/11/05 10:24 da tarde, Blogger dulce disse:

:-) Beijocas

 
At 14/11/05 10:57 da tarde, Blogger Betty Branco Martins disse:

Os dias de "vento" irão passar - e uma leve brisa ficará acariciando o teu rosto - fazendo-te sorrir :)

Beijinhos

 
At 16/11/05 4:04 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Dulce e Betty Branco Martins :))**

 

Enviar um comentário

<< Voltar ao mundo