sexta-feira, abril 22, 2005

Adeus



O silêncio instala-se e permanece de forma definitiva
Não vale a pena ganhar força e tentar levantar o corpo deste chão húmido e frio
A luz baça tenta passar pela janela; tenta dar aquilo que já se perdeu: vontade de viver.
E quase sem voz murmura: - Não adianta contrariar o destino
As lágrimas vão caindo lentamente, já quase sem força
A dor penetrada em todo o seu corpo ia tornando-se demasiado pesada e desgastante
Estava apenas cansada daquele peso, daquele sofrimento constante que parecia obsessão; daquelas lágrimas, quase secas, que iam, ainda, escorrendo pela sua face de menina
Aquela escuridão tornava-a cada vez mais só e essa solidão, esse desespero fazia com que a pouca força que ainda lhe restava fizesse com que tudo acabasse. Sem dor. Num só acto, que determinaria o final da sua história.
Fechou os olhos, susteve a respiração e, com gestos firmes, tomou os derradeiros comprimidos que a fizeram adormecer num sono profundo e eterno

E, em cima da cama, havia um simples papel que dizia:

Adeus!

54 à janela:

At 23/4/05 1:39 da tarde, Blogger Micas disse:

Forte e tocante. Beijinho e bom fds

 
At 23/4/05 6:20 da tarde, Blogger Daniel Aladiah disse:

Querida Sara
Consegui ver a encenação... dramática mas bela.
Um beijo
Daniel

 
At 23/4/05 6:23 da tarde, Blogger Selma disse:

Uma só palavra pode que pode significar o fim de tudo, ou um novo começo. Quem sabe?

 
At 23/4/05 6:47 da tarde, Blogger FataMorgana disse:

Escreveste-o com uma intensidade imensa, parece que vi tudo!
AmigaTeatro, tu és realmente uma encenadora. Sente-se que porias isto em cena com um resultado igualmente intenso :)

Beijos, Sara

 
At 23/4/05 9:01 da tarde, Anonymous Anónimo disse:

Lindo, já não vinha cá a algun tempo e foi uma optima surpresa. :)
Ass:Neo

 
At 23/4/05 11:28 da tarde, Blogger BlueShell disse:

Chorei...eu sei porque chorei. Tu não sabes, mas eu sei...

Beijos mil, BShell

 
At 23/4/05 11:39 da tarde, Blogger António disse:

É curiosa a forma como, neste pequeno texto, o suicídio parece uma coisa tão natural.
Jinhos

 
At 24/4/05 12:06 da manhã, Blogger AmigaTeatro disse:

micas :)**

Daniel,
é bom quando as palavras ganham vida... ! ;)*

Selma,
quem sabe... quem sabe...
(mas não me parece :// )

oh, morgana,
obrigada :$
sinto-me tão bem quando leio os vossos comentários e neles encontro a compreensão que desejaria encontrar... o entendimento perfeito das palavras e, a cima de tudo, quando aquilo que lemos parece uma vivência antiga. Não há nada melhor que isso, escrever e, quem nos lê, sentir tão perto as palavras, adoro quando isso acontece... :)**

Hugo,
acredita que gostei muito de te ver por aqui... gostei mesmo!
Um beijo*

bluezinha,
Um beijo, linda*

António,
a vida às vezes é má, muito, muito má... :( *

 
At 24/4/05 5:09 da manhã, Blogger Kraak/Peixinho disse:

Isto é forte! Sou 1 forasteiro por aqui, mas prometo que vou voltar com regularidade.
Hugzzz
Kraak/Peixinho

 
At 24/4/05 4:07 da tarde, Blogger barbaciliano disse:

A dor é uma arma capaz de nos fazer sentir o prazer de uma lágrima.
Não é facil decifrar o silêncio quando não temos consciência que temos consciência...

Um beijo

 
At 24/4/05 6:24 da tarde, Anonymous Menina_marota disse:

Um texto forte e sentido. As tuas palavras caíram dentro de mim, com uma tal intensidade, que "vi" toda a cena. Ou (re)vivi-a!
Há momentos da nossa vida, que passam por nós, como se fossem filmes. Como se não fossemos nós, os "autores" da cena. Ou da história.

Mas há sempre um motivo para vivermos. Para que o adeus, não seja definitivo.
Porque outros mundos se abrem para nós, qual janela aberta à vida. E, acredita, a minha vida, tem sido uma constante de fechar portas e abrir janelas.

Mas, sempre encontro um incentivo para viver. E para sorrir.

Mais não seja, pelos meus filhos, pelos meus animais e… pelo meu Blog… são páginas da minha vida… que perdurarão.

Porque ali, me conheço e reconheço…

Um abraço terno.

(Tomei a ousadia de linkar-te. Assim não perderei o caminho para cá… Bj)

 
At 24/4/05 7:39 da tarde, Blogger lique disse:

Voltaste com um texto muito dramático. Uma descrição que cria o ambiente até ao triste final. Muito bem escrito Sara mas esse é um momento terrível na vida de quem quer que seja! Beijinhos

 
At 24/4/05 7:43 da tarde, Blogger agua_quente disse:

Olá Sara! Esse adeus é a decisão ao mesmo tempo mais difícil e mais fácil de tomar na vida. O fácil é porque é uma fuga. O teu texto está realista, sentido, belo. Beijos

 
At 25/4/05 1:10 da manhã, Blogger AmigaTeatro disse:

Kraak/Peixinho,
obrigada pelo comentário,
volta sempre! ;)

Luísa,
e tudo na vida é passageiro... não é?! ;)

Menina_marota,
quando se faz o que se gosta tudo se torna bem mais fácil ;)
Agradeço o facto de ter sido linkada =))

lique,
são sempre tão carinhosas as tuas visitas... :)**

agua_quente,
há decisões que, aos olhos de outrem, podem parecer ou actos de coragem ou actos de cobardia..
o suicídio é, de facto, um desses casos...
;)*

 
At 25/4/05 4:42 da tarde, Blogger Alexandre Sousa disse:

Sentimentos traduzidos em palavras. Sensibilidades à flor da pele. É sempre um prazer vaguear por estas páginas

 
At 25/4/05 6:42 da tarde, Blogger stillforty disse:

Cansada daquele peso,daquelas lágrimas, daquela dor, da obsessão tomou o caminho mais fácil: desistiu!!!
Dramática descrição.
Beijo

 
At 26/4/05 1:51 da manhã, Anonymous Charlotte disse:

Quase assistimos a esse final!
Espantoso este texto*
Charlotte

 
At 26/4/05 3:42 da manhã, Anonymous Dora disse:

Um retrato do desespero mais radical pintado de uma forma despojada e (estranhamente) sóbria.
Um beijinho de boa semana :-)

 
At 26/4/05 4:20 da manhã, Anonymous Bulbucus Íbis disse:

Obrigado pela visita na Manjedoura.
Li algumas frases soltas no teu blog e lembrei-me de The Doors.

 
At 26/4/05 8:24 da manhã, Anonymous Carla disse:

Adeus é tanto para quem o diz e tão pouco para quem o recebe... Beijo grande, Sara.

 
At 26/4/05 4:14 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Alexandre Sousa :)

stillforty,
mas na vida não existe só o belo...
;)

Charlotte,
obrigada! =))

Dora,
beijito ;)

Bulbucus Íbis,
the doors, ai é?! 'tá bem... lol ;P

Carla,
ora nem mais...
;)*

 
At 26/4/05 7:29 da tarde, Anonymous Espectro #999 disse:

Poderás pensar tu [...] só cá faltava este....!!!!!!!

 
At 26/4/05 10:17 da tarde, Blogger Justamente Eu disse:

Muito bonito,como sempre.
Beijinho e boa semana

 
At 26/4/05 10:21 da tarde, Anonymous Claudia Perotti disse:

Confesso que o texto tocou-me as entranhas!
Intenso!
Agradeço sua visita!
Beijinhosssssssss

 
At 26/4/05 10:26 da tarde, Blogger musqueteira disse:

Viva amiga teatro,
Que o sono eterno chegue a nós o mais tarde possivel.Há tanta coisa ainda para fazer...E quem sabe,gente boa ainda para conhecer.

 
At 26/4/05 11:05 da tarde, Blogger Kitty disse:

O primeiro pensamento que tive foi... porquê?

O texto está 5*

 
At 26/4/05 11:07 da tarde, Blogger maria pedrinha disse:

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 26/4/05 11:07 da tarde, Blogger maria pedrinha disse:

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 26/4/05 11:07 da tarde, Blogger maria pedrinha disse:

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 26/4/05 11:07 da tarde, Blogger maria pedrinha disse:

lindo...o texto e a foto...

 
At 26/4/05 11:07 da tarde, Blogger maria pedrinha disse:

lindo...o texto e a foto...

 
At 26/4/05 11:09 da tarde, Blogger maria pedrinha disse:

lindos...foto e texto...um beijo

 
At 27/4/05 12:16 da manhã, Blogger ruiluis disse:

uma fatalidade quando o adeus é assim...triste e só...ao contrario da tua escrita que está cheia de vida...beijos !

 
At 27/4/05 1:37 da manhã, Blogger lualil disse:

Adeus é sempre uma palavra muito difícil de ouvir.. e de falar também.
um beijo,

 
At 27/4/05 5:09 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Obrigada a toooooooooooodos!!

=))

***

 
At 27/4/05 6:13 da tarde, Blogger Margarida Atheling disse:

Muito bonito!
Mesmo que profundamente triste!

Parabéns! Gostei muito do teu blog!

 
At 27/4/05 7:55 da tarde, Blogger Carmem L Vilanova disse:

Lindo, embora triste!
Gostei deste teu escrito, realmente!
Bjinhos!

 
At 27/4/05 10:16 da tarde, Blogger António disse:

Obrigado pela tua visita ao meu bloguinho.
Quando lá escreveste que não tiveste 25 de Abril de 1974 foi porque nasceste depois dessa data, não foi?
Ou há outra mensagem mais subtil escondida nessas palavras?
Jinhos

 
At 28/4/05 10:56 da manhã, Anonymous kbral disse:

Bom dia.
Após suas dicas, tentarei enviar algo para fazer um teste, isto para ver se realmente entendi como faze-lo. Um abraço

 
At 28/4/05 3:08 da tarde, Anonymous kbrallovsk disse:

Achei profundo, triste e muito me emocionou, fico aqui pensando, onde busca inspiração para tanto... Estou encantado com seu espaço. Um abraço.

 
At 28/4/05 3:39 da tarde, Blogger Bastet disse:

Ao contrário do papel que dizia "adeus" eu venho dizer-te "olá"! E como desta vez o post já vem escrito na terceira pessoa já não fico em pulgas e em cuidados ;)

 
At 28/4/05 3:49 da tarde, Blogger gato_escaldado disse:

uma adeus seco. como o desabar do Mundo. gostei desta escrita límpida. beijo

 
At 28/4/05 3:56 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Margarida Atheling e Carmem L Vilanova,
Obrigada...
Voltem sempre!! ;))

António,
foi mesmo porque nasci após (um após mto longo LOL ) a data, pois... :)

kbral,
vês?! já sabes comentar... afinal não é assim tão difícil...
=)

Bastet,
a 3º pessoa faz milagres... lol
;P***

gato_escaldado =)
8)*

 
At 28/4/05 6:12 da tarde, Blogger Adryka disse:

Belo texto adorei. Beijo

 
At 28/4/05 8:14 da tarde, Blogger Neysi disse:

Dormir...
e depois?
Sonhar?
Quem sabe...
Obrigada pela visita

 
At 29/4/05 1:41 da tarde, Blogger Yardbird disse:

E depois do adeus há sempre um amanhã luminoso, Sara :-).
Beijocas

 
At 29/4/05 3:50 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Adryka, =))

noliv,
volta sempre ;)

bird,
eu acredito que sim,
acredito... :)*

 
At 30/4/05 2:04 da tarde, Blogger Joanie Bats disse:

Às vezes não parece haver outra saída...Para as palavras, que entram por nós e temos que passá-las com urgência para um texto, uni-las e contar uma história.
As palavras escolhem-nos ou escolhemo-nos nós a elas? Não sei como foi, mas a verdade é que este texto está belíssimo, encara o suícidio como uma porta suave, mas ao mesmo tempo desesperada, para uma outra existência.
Obrigada pela visita ao meu cantinho e parabéns pelo teu: gostei muito da tua maneira de escrever e da tua estética.

 
At 1/5/05 12:02 da manhã, Blogger Mónica disse:

Ha muito tempo k nao te visitava,continuas a escrever lindamente :)
Beijinhos Sara ****

 
At 1/5/05 5:23 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Cristina,
obrigada =)
Volta sempre...!! ;)

mónica,
jinhos**

 
At 4/5/05 10:44 da manhã, Blogger Carlos Gil disse:

Bonito.

 
At 8/5/05 2:57 da tarde, Anonymous Rapariga Perdida disse:

simplesmente lindo!
às vezes nem a mim me apetece levantar do xão, com tanta tristeza que sinto! mas lá tem que ser...

 
At 19/6/05 3:35 da manhã, Anonymous Charlotte disse:

Não conhecia o teu blog, mas agora que o descobri e gostei vou pedir para te lnkar, ok?
Bjs*

 
At 31/5/10 8:47 da manhã, Blogger 文章 disse:

AV,無碼,a片免費看,自拍貼圖,伊莉,微風論壇,成人聊天室,成人電影,成人文學,成人貼圖區,成人網站,一葉情貼圖片區,色情漫畫,言情小說,情色論壇,臺灣情色網,色情影片,色情,成人影城,080視訊聊天室,a片,A漫,h漫,麗的色遊戲,同志色教館,AV女優,SEX,咆哮小老鼠,85cc免費影片,正妹牆,ut聊天室,豆豆聊天室,聊天室,情色小說,aio,成人,微風成人,做愛,成人貼圖,18成人,嘟嘟成人網,aio交友愛情館,情色文學,色情小說,色情網站,情色,A片下載,嘟嘟情人色網,成人影片,成人圖片,成人文章,成人小說,成人漫畫,視訊聊天室,性愛,自拍,情色論壇,性感影片,正妹

 

Enviar um comentário

<< Voltar ao mundo