terça-feira, abril 12, 2005

Desabafo

Hoje telefonei-te, mas tu não atendeste, acho que estava impedido. Precisava tanto falar contigo. Precisava de te dizer como me sinto e o porquê destes sentimentos que se enrolam dentro de mim e, aos poucos, vão criando um nó que, cada vez mais, vai resistindo à tentativa de o desatar. Penso em desistir, mas estes pensamentos perseguem-me e esta realidade vai-me envolvendo numa dormência e numa indolência que faz com que eu permaneça intacta a tudo o que me vai rodeando.
Sabes, ele hoje veio falar comigo. Por isso, já podes imaginar como fiquei. Bolas, logo agora que eu começava a respirar outros nomes; a sorrir por outras causas e a tentar mudar aquilo que sinto.
Há uma semana atrás as coisas começaram a mudar: a imagem de herói ia-se desmoronando e eu ia-me desiludindo. E, estranhamente, essa desilusão deixava-me satisfeita, era um bom curativo para o meu coração. Eu sentir-me-ia fresca e voltava a dar vida ao meu verdadeiro “eu”.
Eu sei, nunca mais te falei dele, ou melhor, nunca mais te disse como eu me sentia em relação a tudo isto. Mas agora estou aqui. A querer falar contigo e não conseguir, porque o raio do telefone continua sem dar sinal. Oh, minha amiga, podes deixar o namorico só por um segundo e dares-me um pouquinho de atenção?

Enquanto isso, vou continuar aqui: a desabafar, a desabafar… a desabafar só para mim.

29 à janela:

At 12/4/05 10:46 da tarde, Blogger António disse:

É bem melhor ir do que telefonar!

 
At 13/4/05 12:06 da manhã, Blogger Pêndulo disse:

Gostei, bastante.
É mesmo assim.
***

 
At 13/4/05 12:45 da manhã, Blogger isa xana disse:

telefonar às vezes dá jeito... mas falar mesmo com a pessoa é bem melhor, desabafar ao lado de quem confiamos, contar tudo e sentir por perto bem perto alguém a escutar-nos... faz bem.

**

 
At 13/4/05 2:44 da manhã, Anonymous Carla disse:

Por vezes, a desilusão é mesmo o melhor curativo. Quando a decepção está muito fresca, podemos sentir-nos abalados pelo mais leve roçar da folhagem... e nessas alturas sabe mesmo bem ter um/a confidente. Revi-me completamente nesta parte:'Eu sei, nunca mais te falei dele, ou melhor, nunca mais te disse como eu me sentia em relação a tudo isto.' Foi esta a minha opção para quem já devia estar farto de me ouvir falar sempre no mesmo... mas cá dentro os desabafos continuam sempre. E ainda bem que há os verdadeiros amigos que são ombro, são colo, são tudo. Que nos ouvem com muita atenção porque sabem o quanto isso é importante para nós. Mesmo que seja pela 63ª vez. Um beijo grande.

 
At 13/4/05 3:53 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

;)*

 
At 13/4/05 7:10 da tarde, Blogger Carmem L Vilanova disse:

Olá Amiga Teatro!
Passei para agradecer-te a tua visita ao meu cantinho e para conhecer o teu espaço e te digo que o que vi me agradou imenso.
Se posso dar-te minha opiniao sobre este teu desabafo, ainda creio que os olhos nos olhos falam muito mais que qualquer telefonema... Talvez valha a pena tentar, talvez a outra pessoa desta história esteja somente esperando a oportunidade de ter-te diante de si para poder abraçar-te e dizer-te o quanto sente pelo ocorrido.
Deixo-te um beijo carinhoso e que estejas bem!

 
At 13/4/05 7:46 da tarde, Anonymous Numinteressa disse:

Eu acho que devias avançar com a tua vida. A vida não é um caminho. São vários.
Tens de sair desse beco e encontrar a tua avenida.

Força :)

 
At 13/4/05 7:49 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Pronto,
Vou ter que começar a usar a 3ª pessoa nos textos, está visto…

Em todo o caso,
Obrigada pelo comentário: Carmem L Vilanova e Numinteressa :)

Voltem sempre!! ;)

 
At 13/4/05 9:28 da tarde, Blogger stillforty disse:

Amiga, os amigos contam-se pelos dedos duma mão, quando temos sorte.
Sou contra o telefonar, quando preciso desabafar vou ter com um deles e levam comigo em cima quer queiram ou não queiram.
Beijinhos

 
At 13/4/05 10:16 da tarde, Blogger Bastet disse:

vida real da amiga teatro ou teatro real? Contigo já não arrisco! :)*

 
At 13/4/05 10:25 da tarde, Blogger Yardbird disse:

E para nós :-)
Gostei muito. Beijinho

 
At 13/4/05 10:26 da tarde, Blogger Daniel Aladiah disse:

Querida Sara
É bom desabafar quando temos alguém...
Um beijo
Daniel

 
At 14/4/05 12:36 da tarde, Blogger NR disse:

Desabafar faz tão bem... e acredita, não é só para ti. ;)
Bjos

 
At 14/4/05 2:20 da tarde, Anonymous gato_escaldado disse:

gostei do desabafo. escrita sem artificios. expontânea como a vida. beijo

 
At 14/4/05 2:58 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Bastet, agora estiveste bem... hehe...
gostei :D*


Desabafar silenciosamente é que é mto bom, é... grrrrr. Pff.

****** a todos ;)

 
At 14/4/05 5:11 da tarde, Blogger Adryka disse:

Para mim o melhor local para desabafar é escrever escrever muito, tudo o que me vai na alma fica no papel, passados dias nem quer ler o que escrevi.bjs

 
At 14/4/05 6:29 da tarde, Blogger Micas disse:

Qd se necessita de desabafar o melhor é mesmo ir!! Beijinho

 
At 15/4/05 9:09 da tarde, Blogger ricardo disse:

quando o pano fechar, vou bater palmas. vou, porque gostei da encenação, da entrega, dos sentimentos que nos são atirados à pele e acabam por nos ferir.

mas quando o pano fechar, vou ter a certeza de que não gosto da personagem. sim é verdade, não gosto. a frase pode não significar nada, mas dói. "deixar o namorico", é que não.

a amiga está lá. estará sempre lá. e o namorico dela é o berço dos seus sorrisos. aqueles que não tens e que choras por ter. sei que a frase vem com a mágoa, mas não devia ter voz.

beijos

 
At 16/4/05 12:23 da manhã, Blogger Luís Miguel disse:

"Enquanto isso, vou continuar aqui: a desabafar, a desabafar… a desabafar só para mim."
.
.
Sara, Sara, é esse "dasabafo" (o tal que guardas para ti) que tornará este teu post ainda mais completo e perfeito. Será que o poderás transmitir?
.
.
Bom fim de semana, querida amiga..
.
.
.

 
At 16/4/05 12:34 da manhã, Blogger AmigaTeatro disse:

A escrita é tão bela, mas é, também, tão pérfida…
Mesmo sendo perigosa eu arrisco-me a usar essa arte, porque gosto; porque tenho essa necessidade…

Miguel,
És tão gentil… :)*


Bom fim-de-semana pessoal :)
jinhos

 
At 16/4/05 3:21 da manhã, Blogger Estrela do mar disse:

...Sara...gostei muito deste teu texto...fiquei foi sem saber se é real...ou pura imaginação...mas gosto desta sensação...a da divagação que as letras proporcionam...

Tem um bom fim de semana.
Um beijinho*.

 
At 17/4/05 12:25 da manhã, Blogger AmigaTeatro disse:

Estrela :)*

 
At 19/4/05 11:05 da tarde, Blogger dinorah disse:

Olá linda! Tal como a Estrela fico sem saber se o teu post é verdadeiro ou não, o que não interessa absolutamente nada, pois certamente não terá havida uma de nós que não tenha passado por algo assim! e é bom ver isso por escreito! é bom rever-nos nas palavras de outrém!
um bj, continua assim!

 
At 20/4/05 3:49 da tarde, Blogger ::mari:: disse:

Quem já não passou por isso, não é?

Basta nos sentirmos sós para isso acontecer, ou aparentar acontecer. Sim, porque muitas vezes temos a impressão de que ninguém está presente para nos ouvir ou nos "acalmar a alma", mas é apenas porque naquele momento, como também acontece connosco, simplesmente a pessoa não está disponível... não porque nos abandonou, não porque não gosta de nós, mas simplesmente porque não está lá.

E depois passa...tudo passa ;)

 
At 21/4/05 7:44 da tarde, Blogger Mitsou disse:

Há certos desabafos que só connosco mesmos podemos ter. Não trazem, talvez, a mesma sensação de partilha mas desanuviam-nos a alma e ao menos é um(a) confidente que está sempre pronto(a) a ouvir-nos. Perdoa a ausência neste meu abraço saudoso :)

 
At 21/4/05 8:44 da tarde, Blogger Claudio Costa disse:

Oh! insensato coração. O coração tem razões que a própria razão desconhece.

 
At 21/4/05 9:29 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

E eu estou tão cansada (e não me refiro exclusivamente ao cansaço físico) ...

**

 
At 24/4/05 5:17 da manhã, Blogger Kraak/Peixinho disse:

AmigaTeatro, vai ao encontro do que te espera. Age com a intuição e põe a razão de lado. Pode ser que consigas abandonar essa praia definitivamente.

"Através do teu coração passou um barco que não pára de seguir sem ti o seu caminho." (Sophia, '82)

Hugzzz
Kraak/Peixinho aka Tb passou pelo mesmo

 
At 25/4/05 10:26 da tarde, Anonymous Paulo Ribeiro disse:

Estou a passar por algo semelhante neste momento... Realmente não há melhor antídoto que a desilusão. O "pior" é quando em vez de nos desiludirem nos surpreendem mais e mais.

 

Enviar um comentário

<< Voltar ao mundo