terça-feira, junho 28, 2005

Um sonho tornado realidade

Eram dez da noite quando chegou a casa, após um dia de trabalho – do seu primeiro trabalho.
Ligou o computador, leu os e-mail’s e voltou a desligar. Nenhuma novidade.
Estava cansada e doía-lhe ligeiramente a cabeça.
Decidiu estender-se naquele sofá de sonho, vermelho, atraente e extremamente confortável.
Ligou a televisão. Mas, aquele barulhinho ao ligá-la irritou-a e fez com que a desligasse de imediato.
Por fim, o silêncio instalou-se. Deitada, no sofá, olhava para aquele tecto branco da sala, como se estivesse admirar um céu estrelado.
Aos poucos, os seus olhos iam-se fechando. Estava tão anestesiada que nem se apercebia de que estava a adormecer. E, de repente, o telemóvel tocou. Desta vez, iria entrar num sono que lhe trouxesse a tranquilidade e que a fizesse sentir leve e pronta para mais um dia de trabalho. Por isso, deixara-o tocar…
Após aquele toque irritante, sorriu e voltou apreciar o silêncio. Estava instalada, de novo, naquela calma, quando o silêncio foi, novamente, quebrado.
Embora a preguiça fosse grande, lá se levantou daquele seu “sofá de sonho” e decidiu ir desligar o telemóvel. Estranhou o número, mas reconhecia-o. Decidiu atender.
Quando ouviu aquela voz – que ela conhecia tão bem – a dizer-lhe:
_ Olá!... é o Jorge…
O seu coração disparou brutalmente e começou a bater a mil à hora.
Era o Jorge. Aquele que a fazia entrar num outro mundo, esquecendo a realidade, e vaguear de corpo e alma num retrato de um homem que a fazia sonhar. Ela não queria acreditar que aquele por quem ela suspirava, aquele que ela tanto amava, aquele que um dia lhe tinha dito que não gostava dela, estava, agora, a telefonar-lhe para lhe dizer que a amava.
Ficou muda. Nenhuma palavra saia daquela sua boca, que se encontrava pasmada.
E, sem a deixar falar, disse-lhe, mais uma vez, que a amava, que amava muito. E explicou-lhe o porquê de todas aquelas mentiras, que a fizeram sofrer e que fez com que eles se separassem, de vez.

Finalmente reagiu. Primeiro, sorriu. Depois, apenas o agradeceu por estar a fazer dela a mulher mais feliz do mundo.

_ Quero estar contigo… - disse o Jorge como se lhe estivesse a fazer um pedido.
_ …
_ … preciso de te ver e de te dizer tudo o que realmente sinto, olhando-te nos olhos.
_ Tudo isto me parece tão estranho… durante tanto tempo vivi este amor sozinha, sofri por isso e, agora, tu telefonas-me e dizes que me amas. Não compreendo… também não quero compreender, só quero ter a certeza que, desta vez, não estou a sonhar. Só te peço que sejas sincero, porque eu preciso muito, muito de ti. – respondeu-lhe com uma voz calma, terna…

Falaram durante algum tempo, não muito, porque a necessidade de estarem juntos era maior.

E, antes de desligarem o telefone, murmuraram, os dois – ao mesmo tempo - :

_ amo-te!

34 à janela:

At 29/6/05 12:17 da manhã, Blogger JC disse:

Sarita no seu melhor!!! :)*
È certo que a idade amadurece as ideias e, as responsabilidades laborais nos roubam algum tempo para escrever (e então no MacDonalds, não se brinca em serviço!!! ). lol
De qualquer dos modos, é mais um bom texto mas, acho que o facto do salafrário só agora, que fizeste 18 anos, aparecer... óuó!!! Toma cuidado ó mina!!! Bjs**

 
At 29/6/05 1:36 da tarde, Blogger Daniel Aladiah disse:

Estás convidada...

 
At 29/6/05 4:49 da tarde, Anonymous Anónimo disse:

JC, sem comentários! ;P
***

mistério,
estou convidada, para??? ;S


Ass: Sara M.

 
At 29/6/05 5:45 da tarde, Blogger Daniel Aladiah disse:

Querida Sara
Tudo está bem quando acaba (começa? continua?) bem.
Um beijo
Daniel

 
At 29/6/05 5:47 da tarde, Blogger Adryka disse:

Texto lindo cheio de fantasia adorei. Beijinhos

 
At 30/6/05 3:17 da manhã, Anonymous joão (folha solta) disse:

Sara
Ainda a propósito do post anterior (e de todos os outros) acho que posso dizer (tb. em nome de quase todos quantos te têem lido e comentado) que tb. nós necessitamos de ti e dos teus escritos ... é que o que faz os teus textos tão bonitos acho que é o conseguires soltar e libertar aquelas palavras que um dia, em quase todos nós, nos ficaram presas na garganta, os pensamentos que nunca conseguimos desabafar. Como se vingasses a nossa frustação de não conseguir fazer coisas assim tão belas! (Acho que até é isso que define o ser artista ...)
Só um conselho (se mo permitires) é que pessoas com a tua sensibilidade tem tendência a sofrer demasiado com as agruras da vida (Florbela Espanca, por ex.) por isso só desejo que mantenhas sempre a mesma doçura e a sensibilidade, sim, mas não esqueças ir criando defesas, tá?
Beijo grande ...
(O mundo à janela é mesmo ... o mundo à janela(!!!)

joão
(que tb. tava sentado nos degraus)

 
At 1/7/05 1:08 da tarde, Blogger lena disse:

uma palmada no rabo, sua macaquinha doida!

;D***

 
At 1/7/05 7:16 da tarde, Anonymous Anónimo disse:

Posso dar um beijinho no dóidói depois da palmada ? De preferência na nádega esquerda.
Eh eh eh

Desckonhecido

 
At 1/7/05 10:58 da tarde, Blogger Justamente Eu disse:

o texto é lindo,como já disseram aqui,mas achei que também o devia dizer.
beijinho e bom fim de semana

 
At 2/7/05 12:05 da manhã, Blogger Menina_marota disse:

Enterneci-me com este texto... talvez por ser uma sonhadora... e, desejar que esses sonhos me acontecessem...

Deixo-te um abraço terno :) que os teus sonhos se realizem...
;)

 
At 2/7/05 12:17 da manhã, Blogger AmigaTeatro disse:

Daniel Aladiah ,
Exacto, mesmo que seja em sonho, apenas…! ;P*

Adryka :)*

João,
E eu necessito tanto de vocês, que me lêem; necessito de ler comentários assim, como os teus…
Não interessa o que eu sofro ou o que eu poderei sofrer, interessa sim, que esta sensibilidade me leva ao mais puro dos encantos quando leio tais palavras… como as tuas, por exemplo… assim, como o sorriso que esboço por cada comentário vosso…





Não preciso dizer mais nada, agora…
Um beijo, apenas,
E obrigada por fazeres parte deste mundo à janela … :)*


Laurinha ,
Palmada? No Rabo?!? :/
Macaquinha de macaca?? ://
Eu também gosto muito de ti… Óuó! :/ :P

E não, não vou fazer qualquer tipo de comentário acerca do texto… (A)

Desckonhecido ,
Não recebo beijinhos de desconhecidos, ó!! xD

Tungas!!

Justamente Eu
:)) Bom fim de semana ;)**

Marota
A capacidade de sonhar tem que ser sempre eterna... :)*

 
At 2/7/05 12:34 da manhã, Blogger Luís Miguel disse:

Duas palavras: entrega e devoção!
.
.

 
At 2/7/05 1:40 da manhã, Anonymous Anónimo disse:

Not so unknown. Guess who.
And another kis, this on the right one.
Eh eh eh

Desckonhecido

 
At 2/7/05 11:10 da manhã, Blogger AmigaTeatro disse:

Luís Miguel :)*

Desckonhecido,
esse do "desck" é-me familiar... mas não arrisco!! ;P´
Só q estou indecisa entre o "desck" e o "beijo...nádega esquerda" , duas expressões que me fazem lembrar duas pessoas... às tantas num é ninguém de quem eu estou a pensar!! ;P

 
At 2/7/05 1:27 da tarde, Anonymous Anónimo disse:

"em quem eu estou a pensar"

;p

Desckonhecido

 
At 2/7/05 1:55 da tarde, Anonymous Anónimo disse:

Oi Sara,
Gostei de ler os teus textos.
um beijinho
Anabela

 
At 2/7/05 1:59 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Desckonhecido, - ou deverei dizer deco? - não me chateies, pá!! bahhh... enganei-me, ó!

Anabela,
tu a trabalhar, agora, e eu em casa :DD hahaha...
lol, então, como está isso hoje? muito trabalhinho ou nem por isso?
Jinho e até segunda!! :)

 
At 2/7/05 2:40 da tarde, Anonymous Anónimo disse:

Chama deco se quiseres.
Decu é que não , por favor.

;P

Desckonhecido

 
At 2/7/05 2:56 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

ó pá, assim não vale...

Desckonhecido... Desckonhecido...

:(

 
At 2/7/05 2:59 da tarde, Anonymous Anónimo disse:

Vale um porco !

;p

Desckonhecido

 
At 2/7/05 3:02 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

É pá,
num dizes quem és, num digas... grrr...

Pronto, agora amuei!!

Lol

 
At 2/7/05 3:06 da tarde, Anonymous Anónimo disse:

Num tinerves caumenta oacne

;p
Keep trying baby, oh yeah !


Desckonhecido

 
At 2/7/05 3:24 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Olhe que isto aqui num é um chat, viu??!! (Tungas!)

 
At 2/7/05 4:12 da tarde, Blogger Isabel-F. disse:

Vim retribuir a tua visita... Gostei muito dos teus textos...

Bjs

 
At 2/7/05 4:33 da tarde, Blogger Isabel-F. disse:

Enviei-te um mail com um link, onde poderás ir buscar o programa...

Bjs

 
At 2/7/05 4:48 da tarde, Blogger AmigaTeatro disse:

Obrigada,
já estou a fazer o down. :)*

 
At 2/7/05 6:25 da tarde, Anonymous Anónimo disse:

kerida Sara
entrei no teu blogue
...e...
gostei
da mensagem que li.
ficção ou realidade,
a verdade
é
que necessitámos
muito de dizer
"amo-te"...
muitas vezes.
vou voltar!
até pk só li o 1º texto.
beijux létinha.

 
At 2/7/05 6:46 da tarde, Blogger Miguel disse:

Obrigada pela visita!
Prometo vir mais vezes ao teu blog!
Bom fds!

 
At 2/7/05 7:21 da tarde, Anonymous ALMINHA disse:

NÃO PRECISAS AGRADECER,POIS FOI UM PRAZER NAVEGAR NAS TUAS PALAVRAS E SABER QUE FOSTE NAVEGAR NAS MINHAS :)

UM TEXTO LINDO,RECHEADO DE AMOR,CALMA E PAIXÃO...DEPOIS DE O LER,FIQUEI COM A CERTEZA QUE AFINAL "A ESPERANÇA É A ÙLTIMA A MORRER" :)
ABRAÇO

 
At 3/7/05 12:10 da manhã, Blogger AmigaTeatro disse:

létinha ,
volta sempre, que serás bem-vinda! :)
Obrigada*

Miguel :)
Obrigada pela visita, também... :)

Alminha ,
a esperança é a penúltima a morrer... o amor, é o último!! É ele, o amor, que faz com que a esperança exista… :)



Bom fim-de-semana a todos :)

 
At 5/7/05 10:51 da manhã, Anonymous Carla disse:

Tão bom quando existe reciprocidade... :)

 
At 5/7/05 4:39 da tarde, Blogger António disse:

Dezoito aninhos cheios de talento.
Vais longe, miúda, vais longe!
Jinhos

 
At 6/7/05 10:06 da manhã, Blogger AmigaTeatro disse:

Carla :)*

António,
bigada :$
=))*

 
At 8/7/05 8:52 da manhã, Blogger Bord@s disse:

Mas isto é um *chate* ou keim ?

Sara, menina linda, o teu texto é lindo.

"You're maybe a dreamer, but not the only one"

Beijos

;)***

 

Enviar um comentário

<< Voltar ao mundo